Criado em 8 de fevereiro de 2010.

sábado, fevereiro 13, 2010

A possibilidade de trabalhar por conta própria

As informações sobre a falta de vagas e o número cada vez maior de candidatos a empregos, que surgem frequentemente nos noticiários, deixam evidentemente os desempregados, especialmente os jovens que buscam seu primeiro emprego,  muito preocupados. Na tentativa de evitar a concorrência por vagas para trabalhar, muitos são os jovens que se lançam ao empreendedorismo, tentando iniciar uma atividade por conta própria, sem precisar de um contratador, um "patrão". 
Um dia destes, vi no "Yahoo! Respostas" uma pergunta de um jovem que começou a vender roupas e se interessou a fazer desta atividade seu meio de "ganhar a vida". Pela pergunta que ele fez, percebi que ele vem cometendo o mesmo erro que a maioria das pessoas que buscam iniciar seu próprio negócio comete: achar que, para manter sua atividade, basta simplesmente comprar e vender coisas - no caso daquele rapaz, roupas. 

O grande desafio 

Acontece que as coisas não são tão simples assim. Muitas pessoas que tentaram iniciar seus próprios negócios fracassaram antes de completar seis meses de atividade exatamente por pensarem como aquele jovem. Para iniciar e manter seu próprio negócio, é preciso muito mais do que simplesmente comprar e revender produtos. 
Para inaugurar e manter em funcionamento um restaurante, por exemplo, mesmo que seja um restaurante dos mais simples, não basta montar equipamentos e produzir comida. Muitos clientes o frequentarão nos primeiros dias, nas primeiras semanas, mas apenas para conhecerem o novo restaurante ou porque são amigos ou parentes do dono e querem lhe dar "aquela força". Entretanto, se não encontrarem nele algum tipo de inovação - um prato que não seja servido em outros restaurantes, uma atração qualquer que seja diferente das rotinas dos concorrentes - eles não voltarão a frequentá-lo. E tem mais: dirão aos amigos deles que o novo restaurante não traz novidade alguma, e muitos não irão almoçar lá nem mesmo para conhecê-lo. O resultado será o fracasso pouco tempo depois do começo. 

A organização

Não estou querendo desmotivar seu espírito empreendedor. Quero apenas alertar sobre a necessidade de uma coisa muito importante para tudo na vida de qualquer pessoa: "organização". Os especialistas em empreendedorismo dão alguns conselhos bem interessante. Por exemplo: evite instalar o negócio em sua própria residência ou próximo a ela. Isto só trará até você clientes que moram perto da sua casa, o que não será suficiente para manter os lucros. O cliente ou consumidor que mora em outro bairro, mesmo que seja perto do seu, só virá ao seu estabelecimento se estiver necessitando muito do produto ou do serviço que você oferece e se não tiver outra alternativa mais próxima, mesmo que esta seja mais cara do que aquela que você oferece. Como diz um velho ditado de origem árabe, "se a montanha não vem  a Maomé, Maomé tem que ir até a montanha." Ou seja: é você que tem que ir onde seu cliente potencial está, ou então conseguir uma forma de convencê-lo de que ele necessita muito do seu produto ou do seu serviço (leia sobre isto em "Ética Empresarial e Gestão em Marketing" - http://www.eticamark.blogspot.com/). Outro erro que é muito comum entre iniciantes de negócio próprio: montar um negócio onde já existem muitos similares. Onde existem muitas lojas onde se vendem peças de roupas, é comum o empreendedor dizer que vai montar também uma loja como aquelas porque todas as outras "deram certo". 
Muitas pessoas só entrarão na sua loja porque ela é nova e querem conhecê-la, saber que tipo de roupas você comercializa, conhecer seus preços, etc. Então, você terá que comprovar que suas roupas são mesmo de uma qualidade superior às das outras. Mesmo que essa qualidade seja tão superior, será economicamente inviável para você, porque desde o início terá que vender seus produtos a preços bem abaixo dos praticados pelos concorrentes. Caso contrário, seus clientes poderão até comprar alguma coisa, mas isto será apenas porque já estão ali, mas muitos não voltarão mais e ainda "espalharão por aí" que seus produtos não são melhores do que os outros, e que podem ser encontrados a preços mais baixos em outras lojas. 
Uma farmácia? É uma idéia interessante, as pessoas precisam tratar da saúde, portanto precisam de medicamentos. Mas veja quantas farmácias existem na rua ou mesmo no bairro onde você deseja montar a sua. Se existirem muitas, sua farmácia será apenas mais uma. Portanto, os preços dos medicamentos terão que ser bem baixos, o que poderá ser financeiramente prejudicial para quem está iniciando o negócio. 

O que fazer, então? 

Faça uma pesquisa de mercado. Procure verificar o que as pessoas que residem próximo ao seu local de atividades mais necessitam, e que não exista ali - ou existem poucas opções. Busque um meio de transformar essa necessidade numa grande possibilidade de negócios. Mas isto é um trabalho de marketing. Portanto, para saber como proceder, leia os artigos a respeito no "Ética Empresarial e Gestão em Marketing".  
Obviamente essas orientações não serão suficientes para você iniciar seu próprio negócio. Existem outras questões muito importantes, relativas a empréstimos bancários, licenciamento, impostos, etc. Você encontrará orientações a esse respeito no site do Sebrae (http://www.sebare.com.br/momento/quero-abrir-um-negocio/). 


Próximo artigo: "Turismo: sempre muitas oportunidades de emprego e de trabalho por conta própria"

7 comentários:

Pérola negra,chocolates artesanais disse...

Achei interessante a forma como você abordou a questão de ingressar na "estrada do empreendedorismo",visto que trabalhar por conta própria envolve vantagens e desafios.
Eu trabalho no ramo de chocolateria por conta há quatro anos e tenho visto de perto a importancia de um planejamento,até porque,iniciei neste ramo antes de completar maioridade e já comecei enfrentando desafios.Gostaria que você me enviasse por e-mail,materiais que seja interessantes na questão acima:jessicaperola2010@hotmail.com .

Pérola negra,chocolates artesanais disse...

Achei interessante a forma como você abordou a questão de ingressar na "estrada do empreendedorismo",visto que trabalhar por conta própria envolve vantagens e desafios.
Eu trabalho no ramo de chocolateria por conta há quatro anos e tenho visto de perto a importancia de um planejamento,até porque,iniciei neste ramo antes de completar maioridade e já comecei enfrentando desafios.Gostaria que você me enviasse por e-mail,materiais que seja interessantes na questão acima:jessicaperola2010@hotmail.com .

Elias Alves disse...

Olá, Jéssica!
Sua mensagem, além de ser um comentário, é também um importante depoimento baseado em sua própria experiência. Grato pela sua participação. Conheça também o site "Espaço do Empreendedor" (https://sites.google.com/site/espreendedor/).
Abraço!

Corina Pinto disse...

ola. concordo com com tudo que vem no seu artigo e adiantaria mais, uma bo averdade eh sempre muito muito muito melhor que uma mentira que nos leva para tao longe em pouco tempo. as pessoas quando sabem da sua iniciativa empreendedora querem dar aquela forca, dizer que esta tudo bem, mas essas opinioes nos viciam e plantam em nos a semente de um dos inimigos mais fortes de quem quer vencer no mundo de negocios "o comodismo". a gente deixa-se por isso, nao se esforca, e pensa que aquelas opinioes sao eternamente validas.
por isso devemos dar vallor as criticas porque so elas vem o que tem que ser mudado para MELHORAR o seu negocio. elogios sao bons mas nao como vicio e desculpa para "routina" e "preguica" de inovar e buscar mais e melhor.

Anônimo disse...

eu quero trabalhar com produto não perecivel. tenho local condução condições,
quero um produto novo.
eu sou sebastião figueiredo araujo,
emal s,figueiredo.araujo@bol.com.br

Anônimo disse...

su moro no A B C quero continuar na cidade onde moro.

Elias Alves disse...

Olá, Sebastião!
Existem milhares de tipos de produtos não perecíveis. Especifique melhor, por favor.
Abraços!